Encontro com a escritora Ana Maria Magalhães

A escritora Ana Maria Magalhães esteve no Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes no dia 27 de outubro de 2014, data em que se comemorou o Dia Internacional da Biblioteca Escolar.
De manhã, a escritora visitou a Escola Básica Dr. João Lúcio, onde cerca de 78 alunos dos 3º e 4º anos a aguardavam com curiosidade. Os professores já tinham trabalhado algumas das suas obras, pelo que os alunos estavam muito bem informados acerca da vida e obra da escritora. O diálogo entre a autora e os alunos foi muito vivo. Ana Maria Magalhães revelou algumas das suas muitas aventuras vividas no processo de recolha de informação para a produção dos livros, referindo uma fantástica viagem à Amazónia, onde apanhou um tremendo susto no encontro face a face com uma jibóia. Ensinou, também, aos alunos uma fórmula mágica para obter bons resultados nos testes.

Terminada a sessão, a autora e as organizadoras deste evento (coordenadoras da Rede de Bibliotecas Escolares de Olhão, coordenadora Interconcelhia, representante da editora Leya, professoras bibliotecárias e coordenadora de estabelecimento) almoçaram no Laboratório de Cozinha onde as aguardava um delicioso almoço, num espaço previamente decorado e preparado para acolher a autora. Ainda houve uma surpresa: uma deliciosa sobremesa.


Às catorze horas, já Ana Maria Magalhães chegava ao auditório da Escola Básica Dr. António João Eusébio, onde os alunos do 4º ano haviam colado cartazes com desenhos e textos relativos às suas leituras.

A sessão foi animadíssima, com revelações surpreendentes sobre a criação das personagens da coleção “Uma Aventura”, que tinham sido alunos de carne e osso! A autora contou divertidos episódios da sua infância e esclareceu os alunos que escreve sempre sentada à mesa com a sua amiga, Isabel Alçada, entre outras revelações.


No final de cada sessão, foi sorteado um livro pelos alunos que não haviam adquirido um exemplar, seguindo-se uma sessão de autógrafos. Todos se mostraram agradados com esta fantástica visita.

Hora do Conto: Simão Mentiras

No dia 24 de outubro, sexta-feira, realizou-se uma sessão de Conto na Biblioteca da Escola Básica do 1º Ciclo/Jardim de Infância de Moncarapacho, destinada aos alunos de cinco anos das três salas do Jardim de Infância. O livro que serviu de base à sessão foi Simão Mentiras, de Roberto Aliaga, ilustrado por Simona Mullazzani; a animação da leitura esteve a cargo da D. Fernanda, técnica da Biblioteca Municipal de Olhão. Uma vez que as crianças se mostraram muito interessadas, tiveram, ainda, direito a ouvir uma segunda história, o "Capuchinho Vermelho", que se desenrolou a partir de um fantoche de tecido que se transformava, sucessivamente, em Capuchinho Vermelho, Avozinha e Lobo. As crianças adoraram e os adultos presentes também.

Esta atividade realizou-se no âmbito da comemoração do Mês Internacional da Biblioteca Escolar (outubro).





Olhão a ler: 27 de outubro

No dia 27 de outubro, as Bibliotecas Escolares de Olhão assinalaram o Dia Internacional da Biblioteca Escolar, com a leitura de um poema, no início da aula das 10:30, em voz alta, em todas as salas de aula do concelho. 
No Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes, foram selecionados dois poemas, um para o Pré-escolar e 1º Ciclo e outro para os restantes ciclos. A leitura destes textos em todas as escolas do AEFFL foi o mote para o desenvolvimento de atividades relacionadas com a Biblioteca e com a Leitura. 

"Olhão a Ler" na sala 2 da Escola Básica Dr. António João Eusébio
Turma 5ºB - Aula de Ciências Naturais


Texto lido

As árvores e os livros


As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortadas,
e capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas.

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas
no pecíolo, no limbo, nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Floresta das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras.
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.


Jorge Sousa Braga, Herbário (2002)


Mês Internacional da Biblioteca Escolar no AEFFL

Mês Internacional da Biblioteca Escolar no AEFFL


Outubro é o Mês Internacional da Biblioteca Escolar. Em todo o mundo, este período é aproveitado para reforçar a visibilidade das bibliotecas escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens.
A International Association of School Librarianship (IASL) propõe, como anualmente acontece, um tema aglutinador — A tua biblioteca escolar: um mapa de ideias. Para 2014, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares estabelece 27 de outubro como Dia da Biblioteca Escolar.
Em resposta a este desafio, a Rede de Bibliotecas de Olhão criou um conjunto de atividades que visam promover a visibilidade da biblioteca escolar, destinadas a alunos, professores e comunidade educativa em geral, e que deccorerão em todas as escolas do concelho.
No Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes, estão programadas as seguintes atividades:

-Sessões de formação sobre a Biblioteca - “Vem conhecer a Biblioteca” para os novos alunos do agrupamento;

- Hora do conto – “Simão Mentiras” – dinamizada pela Biblioteca Municipal de Olhão, com duas sessões agendadas; a primeira para o dia 24 de outubro, na EB1/JI de Moncarapacho e a segunda, para o dia 31 de outubro, na EB1/JI da Fuseta, às 14:00;

- Encontro de alunos do 1º Ciclo com a escritora Ana Maria Magalhães, no dia 27 de outubro, às 10:30, na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. António João Eusébio e às 14:00, na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. João Lúcio;

- Leituras encenadas, de textos do património literário olhanense, pelo grupo de teatro A Gorda, direcionadas a alunos dos 2º, 3º Ciclos e e Ensino Secundário e agendadas para as seguintes datas: 24 de outubro, na Escola Secundária Francisco Fernandes Lopes; 30 de outubro, na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. João Lúcio; 31 de outubro, na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. António João Eusébio; as sessões terão lugar nos auditórios das respetivas escolas, com início às 11:30;

- Campanha “Um livro, um sorriso” – promovida pela Biblioteca Municipal de Olhão, com a colaboração das bibliotecas escolares do concelho, que decorrerá de 13 de outubro a 20 de novembro, com a finalidade de recolher livros infantis, em estado novo, para serem oferecidos a crianças carenciadas do concelho de Olhão, durante a quadra do Natal.
            
           Neste momento, as Bibliotecas estão a elaborar o seu plano de atividades para o corrente ano letivo, estando previstas entre outras, as seguintes iniciativas: Apoio a atividades de estudo, Encontros com autores, Feira do Livro, elaboração do Jornal Escolar, DELF Scolaire, Jogo da Língua Portuguesa, Batalha dos Livros, Hora do conto, etc.

            Se tem ideias para acrescentar a este “mapa”,  se pretende fazer voluntariado nas bibliotecas escolares do AEFFL ou dar um outro qualquer contributo para a promoção da leitura e do conhecimento nas nossas escolas, envie a sua mensagem para bibliotecas@aeffl.pt.

Contamos consigo!

Norberta Sousa e Teresa Costa
Professoras Bibliotecárias do AEFFL

7ª Edição do concurso "Batalha dos Livros"



Arregacem as mangas, reúnam as vossas tropas, pois a 7ª edição da Batalha dos Livros vai começar.
Podes inscrever-te na tua Biblioteca, até 15 de novembro. No caso de seres um aluno do 1º ciclo, faz a inscrição com a tua professora.

A batalha vai ser renhida!


Obras selecionadas  - 2014-2015


1º escalão (3º e 4º anos)
Título
Autor
Editora
O gato e o escuro
Mia Couto
Caminho
Conversas do Céu e da Terra
Rita Sobral
Pé de Página Editores
Contos para Rir
Luísa Ducla Soares
Livraria Civilização Editora

2ºescalão (5º e 6º anos)
Título
Autor
Editora
A menina do mar
Sophia de Mello Breyner   Andresen
Porto Editora
Missão impossível
Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
Fundação Jorge Álvares
A menina que roubava gargalhadas
Inês Pedrosa
Quetzal
Os piratas
Manuel António Pina
Edições ASA












3º escalão (7º e 8º anos)
Título
Autor
Editora
Uma Escuridão Bonita
Ondjaki
Texto Editores
Em Roma sê romano
Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Caminho
A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho e outras histórias
Mário de Carvalho
Leya (coleção BIS)
O diário secreto de Adrian Mole ao 13 anos e 3/4
Sue Townsend
Difel









   


4º escalão (9º e 10º anos)
Título
Autor
Editora
A mulher que prendeu a chuva e outras histórias
Teolinda Gersão
Sextante Editora
Divergente (vol. 1)
Veronica Roth
Porto Editora
A culpa é das estrelas
John Green
Asa
A revolta - Jogos da Fome III
Susanne Collins
Presença

5º escalão (11º e 12º anos)

Título
Autor
Editora
Romeu e Julieta
Willam Shakespeare
Relógio D` Água
Cem anos de solidão
Gabriel Garcia Márquez
Dom Quixote
Cruz de Portugal
José Sequeira Gonçalves
Saída de Emergência
Claraboia
José Saramago
Caminho 

A HISTÓRIA EM DATAS


As Mulheres Republicanas e a Educação

Foi sobretudo a partir de 1906 que as mulheres convertidas aos ideais da República ganharam cada vez mais visibilidade na imprensa conotada com o Partido Republicano e outros sectores liberais e democráticos, escrevendo, fazendo conferências e dedicando-se ao ensino livre. Por ensino livre entendia-se toda a rede de colégios particulares, escolas dos Centros Republicanos e outras que defendiam um ensino liberal, moderno e secularizado, livre da influência religiosa e clerical.
À data da implantação da República, 5 de Outubro de 1910, as mulheres constituíam a maioria do professorado, não só dos Centros Escolares Republicanos, mas também das escolas oficiais, pois desde a reforma educativa de 1878 que se vinha assistindo à feminização do ensino primário. Assim, é relevante a influência que as mulheres vão exercer sobre as novas gerações, através da instrução e educação ministradas nas escolas liberais, sob a orientação de um modelo pedagógico que privilegiava os ideais da liberdade, da igualdade perante a lei, da justiça e da democracia. 


Maria Veleda foi uma mulher pioneira na luta pela educação das crianças e os direitos das mulheres e na propaganda dos ideais republicanos

A HISTÓRIA EM DATAS


A RAINHA CONTESTADORA!


Há que esquecer os brioches. Maria Antonieta, no seu tempo, era uma lançadora de moda inquieta e contestadora. Chegou inclusive a usar calças em pleno século XVIII e a largar os espartilhos para se aproximar da população camponesa.

A rainha francesa que foi a grande pop star de sua época: 
Última rainha da França, Maria Antonieta (1755-1793) era uma lançadora de moda inquieta e contestadora. Chocou ao vestir calças, até então exclusivas dos homens. Deixou de lado os espartilhos de barbatana de tubarão e adotou peças leves para se aproximar dos camponeses. Quando queria exibir sua riqueza, surgia em público com vestidos suntuosos e penteados rocambolescos de quase 1 metro de altura. Para a historiadora francesa Caroline Weber, tudo isso faz de Maria Antonieta uma precursora das celebridades atuais, em especial a cantora Madonna. Caroline defende que a nobre foi pioneira num comportamento que hoje é comum entre os famosos: provocava protestos de damas ricas, que diziam que essa atitude colocava em risco as diferenças entre as classes sociais. Na entrevista, Caroline explica as maiores inovações trazidas por Maria Antonieta, antes que a Revolução Francesa de 1789 tirasse a monarquia do poder. 


Elisabete Jacinto no Agrupamento

No dia 27 de maio de 2014, o Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes recebeu a visita da autora Elisabete Jacinto, também piloto todo-o-terreno, conhecida mundialmente pelas vitórias e participações em ralis, como o Paris-Dakar. Este encontro com a escritora foi patrocinado pela Plátano Editora.


Durante a manhã, Elisabete Jacinto esteve na Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes com os alunos do curso profissional Técnico de Gestão Desportiva e, de tarde, com os alunos das turmas do 7ºB, 9ºA, 9ºB e 9ºC e 5ºB da Escola Básica Dr. António João Eusébio. 

Os alunos participantes tiveram, assim, a oportunidade de realizar virtualmente o percurso Paris-Dakar, de camião, e de fazer a experiência mental das necessidades a satisfazer e dos cuidados a ter para enfrentar as diferentes temperaturas e outros obstáculos. 

Foram ainda convidados a imaginar a vida no limite da resistência, com um mínimo de água e de comida o que, para milhões de pessoas de África, é a realidade do dia a dia. 

Elisabete Jacinto foi distinguida com a ordem de mérito pelo Presidente da República e é uma referência mundial por se manter sempre na frente em todas as competições, há mais de duas décadas. Lançou a todos o repto de idealizar um projeto e de o concretizar. Tudo é possível, basta QUERER, CRER e TRABALHAR! 

Muitas destas vivências estão reportadas nos livros de banda desenhada Os Portugas no Dakar e na obra Irina no Master Rali, que se encontram à venda nas Bibliotecas da Escola Secundária e Dr. José Fernandes Mascarenhas, em Moncarapacho. 





A HISTÓRIA EM DATAS




SABIAS QUE...

    A batata é originária do Peru. Foram os Espanhóis que a trouxeram para o continente europeu em finais do século XVI. A batata começou a ser cultivada em Portugal no século XVII sendo utilizada na alimentação dos animais. A partir do século XVIII as crises agrícolas levaram os agricultores a utilizarem a batata na sua alimentação, em substituição da castanha.


UM OLHAR PARA FORA...

ELISABETE JACINTO NO AEFFL!

 A autora e piloto todo-o-terreno, Elisabete Jacinto, estará no Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes, no dia 27 de maio: de manhã, na Escola Secundária, para uma sessão destinada aos alunos do curso profissional de Desporto e, de tarde, no auditório da Escola E.B. 2,3 Dr. António João Eusébio, para algumas turmas do 3º Ciclo.
Este encontro é patrocinado pelo Grupo Didática e Plátano Editora  e, os livros da autora, estarão disponíveis para consulta e venda nas Bibliotecas Dr. José Fernandes Mascarenhas (Moncarapacho) e Biblioteca da Escola Secundária.





Jornal Escolar: O Farol da Fifi



Já está disponível a nova edição de "O Farol da Fifi"; não percas tempo segue o link!


A HISTÓRIA EM DATAS


O Ensino no Estado Novo:

Sala de aula com as paredes cobertas de cartazes ("A Lição de Salazar").


Rapazes e raparigas frequentavam escolas diferentes, não existiam turmas mistas.
As carteiras eram de madeira pegadas com os bancos pegados. Os alunos usavam sacos de serapilheira para transportar o material escolar e alguma merenda se tivessem posses. Na cantina da escola ao almoço só davam a sopa e o pão.
A primeira coisa que faziam quando entravam na sala de aula era cantar o hino nacional. Todas as salas de aula tinham obrigatoriamente na parede três símbolos alinhados: uma fotografia de Salazar, outra do Presidente Carmona (símbolos de afirmação autoritária e nacionalista) e um crucifixo (o ensino era revestido de uma orientação cristã, ao abrigo de uma Concordata entre o Estado e a Igreja).
Os alunos tinham que usar uma bata com um n.º de identificação.
Na escola incutia-se a ordem, o respeito e a disciplina.
Muitas raparigas não iam à escola, porque os pais achavam que não era preciso elas saberem ler e escrever. Elas só precisavam aprender a cuidar da casa, para se tornarem boas esposas e saber cuidar e educar os filhos. Na província a maioria das raparigas não iam à escola porque tinham de trabalhar no campo e cuidar dos irmãos mais novos. O horário da escola na província era de manhã para as raparigas e a tarde era para os rapazes. Os manuais escolares da escola primária mantiveram-se iguais durante décadas.

Concurso Nacional de Leitura: Fase distrital em Silves

Robin Pedras conquista um lugar entre os cinco melhores alunos do Algarve


A final distrital da 8.ª edição do Concurso Nacional de Leitura realizou-se no dia 5 de maio na Biblioteca Municipal de Silves e reuniu cerca de 123 alunos do Algarve (90 do 3.º ciclo e 33 do ensino secundário).
Do Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes participaram 9 alunos, três do ensino secundário e seis do 3º ciclo, designadamente:Escola Secundária Francisco F. Lopes: André Rosa, Inês Oliveira e Mariana Ramos;Escola Básica Dr. António João Eusébio: Smilla Adler, Marta Guerreiro e Mafalda Luís; Escola Básica Dr. João Lúcio: Robin Pedras, Sofia Batista e Érica Alvarenga.
Os alunos selecionados foram vencedores da fase escolar do concurso “Batalha dos livros”. Para este concurso, os concorrentes tiveram de ler duas obras: no 3º Ciclo  - Óscar e a senhora cor-de-rosa, de Eric-Emmanuel Schmitt e Aníbaleitor, de Rui Zink. No ensino Secundário  - A história do Sr. Sommer, de Patrick Süskind e Caim, de José Saramago.

A Câmara Municipal de Olhão colaborou com as escolas do concelho disponibilizando o transporte.
A prova iniciou-se com a resposta escrita a questões de interpretação acerca das obras selecionadas, seguindo-se o apuramento dos cinco melhores concorrentes de cada nível de ensino, momento este que decorreu na Biblioteca Municipal de Silves. Enquanto decorria a prova, os professores acompanhantes foram convidados a fazer uma visita guiada aos exlibris da cidade: a Sé e o Castelo. Terminada a prova, alunos e professores dirigiram-se para o Teatro Mascarenhas Gregório, onde atuaram alunos da Escola Secundária de Silves, que animaram o evento. Seguiu-se a comunicação dos cinco finalistas para cada nível de ensino e a prestação da prova oral: um pequeno questionário sobre cultura literária e uma prova de 90 segundos de leitura expressiva excertos das obras selecionadas, por cada finalista.
Da esquerda para a direita: Érica Alvarenga; Robin Pedras; Sofia Batista
 (7ºB - Escola Dr. João Lúcio)
Da esquerda para a direita: Mafalda Luís, Marta Guerreiro; Smilla Adler 
(9ºAno, Escola Dr. António João Eusébio)

O dia 5 de maio foi um dia feliz para o nosso Agrupamento, pois a aluna Robin Pedras da turma A do 7º ano da Escola Básica Dr. João Lúcio ficou classificada entre os cinco finalistas do 3º Ciclo. Esta classificação é a melhor de sempre do ensino básico, no nosso agrupamento e constitui um estímulo para os colegas da Robin: ler é bom e nós podemos ser tão bons como os melhores.
Destacamos também a excelente classificação da aluna Raquel Correia de Sousa, do Agrupamento de Escolas João da Rosa, classificada em 3º lugar. Muitos parabéns à Raquel e à Robin!



 O apresentador, o júri e os concorrentes finalistas do 3º Ciclo no Teatro Mascarenhas Gregório
Robin Pedras está ao centro.
As seis alunas do 3º Ciclo do Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Fernandes Lopes

Batalha dos Livros: sessão concelhia

A fase concelhia da 6ª edição do concurso “Batalha dos Livros” realizou-se no dia 23 de abril de 2014, Dia Mundial do Livro, no auditório da Biblioteca Municipal de Olhão. Os vencedores de cada escalão, apurados nas Escolas Básicas e Secundária do concelho de Olhão, defrontaram-se num ambiente de saudável competição, fazendo prova do seu conhecimento das obras lidas e dos reflexos rápidos para carregar no botão eletrónico. A apresentadora do concurso foi a Coordenadora Interconcelhia, professora Anabela Batista. Foram estas as equipas vencedoras:
1º Escalão (3º e 4º anos): Campeões da leitura, com 9 pontos, da Escola Dr. José Carlos da Maia;
2º Escalão (5º e 6º anos): CBR , com 12 pontos, do Colégio Bernardete Romeira;
3º Escalão (7º e 8º anos): Papa Letras, com 15 pontos, da Escola Professor Paula Nogueira;
4º Escalão (9º e 10º anos): Caçadoras de Livros, com 9 pontos, da Escola João da Rosa;
5º Escalão (11º e 12º anos): Show das Poderosas, com 9 pontos, da Escola Secundária Francisco Fernandes Lopes.


Os vencedores foram premiados com um livro de Banda desenhada e um certificado de vencedor; foi-lhes, ainda, prometido uma pen drive e uma viagem no Caíque Bom Secesso pela Ria Formosa, durante o 3º período. Os restantes alunos participantes receberam diversos brindes oferecidos pela Rede de Bibliotecas Escolares. O grupo Leya também nos concedeu brindes para os alunos vencedores do AEFFL. Na entrega dos prémios esteve presente o DrCamacho, representante da autarquia.
A Batalha dos Livros é o evento de promoção da leitura que mais alunos mobiliza no concelho de Olhão: este ano participaram 698 estudantes, do 3º ao 12º anos, sendo 266 do Agrupamento Francisco Fernandes Lopes.
Nesta edição não obtivemos primeiros lugares por parte das escolas de ensino básico, contudo os alunos defenderam a sua escola com garra; destacamos a equipa do 1º ciclo da Escola Dr. João Lúcio, “O bando dos 4 leitores”, que obteve um honroso 2º lugar.
Escalão
Equipa
Classificação
Pontos
O bando dos 4 leitores (E. Dr. João Lúcio)
6
Livros dramáticos (EB1 Moncarapacho)
0
Relâmpagos (E. Dr. João Lúcio)
2
Os livros dramáticos (EB1 Moncarapacho)
0
As corujas da leitura
0
Os Noddy leitores
6
Os leitores compulsivos ESFFL
0
Felinas dos Livros ESFFL
3

Show das Poderosas ESFFL
9



Para operacionalizar o concurso, contámos com o apoio técnico do professor responsável pelo curso profissional de Eletricidade da ESFFL a quem muito agradecemos; a organização do evento esteve a cargo da Rede de Bibliotecas de Olhão, que agradece todo o empenho da Biblioteca Municipal de Olhão, da Câmara Municipal de Olhão, dos alunos, professores, direções de escolas e das famílias dos participantes.

Susana de Sousa "48" (720p HD legendas em espanhol)


A HISTÓRIA EM DATAS


«"48" é um documentário que nos faz mergulhar nas dolorosas recordações de quem foi vítima das torturas da PIDE. O filme é inteiramente centrado nas fotografias que a realizadora encontrou nos arquivos da polícia política do Estado Novo. São imagens das fichas da PIDE. A maior parte foram captadas no momento após as detenções ou quando estavam prestes a ser libertados. A prisão e a tortura deixou-os pessoas diferentes. Ao longo de todo o filme ouvimos o testemunho dos presos políticos, as memórias que as fotos do seu cadastro lhes trazem.»