O amor não tem idade

Quando achamos que a vida não nos sorri e que o amor é algo que não existe, basta olharmos à nossa volta e ver que, afinal, somos nós que não estamos a sorrir.
O amor não é algo que se procure ou de que se fique à espera. É algo excepcional e impossível de ignorar. Todos nós temos o direito de amar e de sermos amados, qualquer que seja a nossa idade. Aos 8 anos, quando gostamos muito de brincar com aquele tal menino, que acaba por se tornar o nosso melhor amigo; aos 16 quando descobrimos as dores de barriga ao avistar aquele(a) borrachinho(a) pelo(a) qual daríamos tudo; aos 30 quando sentimos mais que paixão ao lado do esposo ou da esposa; aos 80 quando recordamos os bons velhos tempos com a lágrima ao canto do olho e com um coração cheio de recordações.

Por isso, se não amas hoje, amarás amanhã; se não és amado, amanhã o serás.
Feliz Dia de São Valentim!


2 comentários:

Rita disse...

Completamente de acordo.
A vida sem amor não faz sentido... por vezes somos nós que estamos fechados para ele, nos recusamos a ver... mas ele rodeia-nos sempre, seja de que forma for.
=)
Ainda bem que já se pode comentar!
Beijinhos,

Rita

Cidália disse...

Obrigada Rita pelo simpático comentário. Foi lapso da minha parte nas definições.
E sim, tens toda a razão. A vida sem amor não faz sentido, além de que o amor não tem idade.., nem fronteiras.
Beijinho, Cidália